“Ser vencido é aceitável, ser surpreendido é imperdoável.” Essa frase, atribuída a Napoleão Bonaparte, pode ser encarada pelas empresas como um alerta para que estejam aptas a perceber sinais de mudanças antes que elas ocorram e para que estejam prontas para transformar esses sinais em insumos para a tomada de decisão com agilidade e de forma mais assertiva. Essa máxima também sintetiza o espírito da Inteligência Competitiva (IC), cuja principal missão é converter a informação em conhecimento e ação dentro das empresas.

Também chamada de inteligência de mercado, a IC é um modelo proativo de monitorar e captar informações relevantes sobre os cenários onde determinada empresa se insere. Com isso, é possível identificar características do comportamento da concorrência, dos clientes, dos fornecedores e do mercado como um todo. De posse dessas análises, é possível traçar tendências para que as empresas ajustem seus planejamentos para enfrentar os desafios que virão, já que com a inteligência estratégica eles passam a ser conhecidos.

Empresas que adotam técnicas de IC internamente ou contratando serviço especializado saem na frente no mercado porque passam a ter, em suas mãos, informações que permitirão elas se diferenciem no mercado e mantenham os níveis desejados de sucesso. Acompanhe os principais benefícios de se ter um verdadeiro “cérebro corporativo”.

 

Inteligência Competitiva e a concorrência

Dizer que Inteligência Competitiva é um processo que analisa o macroambiente e a concorrência, o chamado benchmarking, e fornece informações que contribuem para a melhoria contínua de uma estratégia empresarial é senso comum, assim como é figurinha repetida afirmar que as informações que são coletadas na concorrência são fundamentais para um melhor posicionamento de um negócio.

Mas, na prática, imaginar o que deve ser observado na concorrência não é tão simples e, mais do que conhecer as características do produto, da composição do preço, dos fornecedores e da clientela do concorrente, outros elementos menos óbvios também trazem informações relevantes, como o perfil dos executivos que comandam a concorrência e a situação financeira dos principais competidores.

Todas essas informações, unidas em uma mesma base de dados permitem a aplicação de cruzamento de forças e fraquezas e também de ameaças e oportunidades, que possibilitarão à empresa redirecionar seus esforços para conseguir chegar aonde pretende.

 

Inovação

As empresas precisam entender que monitorar a concorrência e o mercado continuamente é fundamental para decidir os caminhos que serão seguidos para que se possa inovar. Nesse contexto, é importante saber se o público aprovou a nova embalagem da concorrência, conhecer o suporte tecnológico utilizado pelo concorrente para ter um telemarketing tão elogiado pelo cliente, quais as parcerias a concorrência firma para conseguir alcançar tantas praças, entre várias outras informações.

E tudo isso pode ser considerado um insumo para inovação, porque é justamente identificando pontos em que a concorrência sai na frente e como ela faz isso, ou percebendo espaços que ela ainda não ocupa, que será possível traçar estratégias para se diferenciar. Inovação não é só tecnologia, é também redesenhar, de forma inédita, qualquer processo que impacte positivamente a jornada, o ciclo de vida e a experiência do cliente em qualquer touchpoint, aqueles momentos de interação com a marca ou o produto ou serviço.

 

Redes sociais

As redes sociais são instrumentos que oferecem informações complementares à Inteligência Competitiva tradicional. No ciberespaço existem ferramentas de compartilhamento de informações, como o Twitter, que permitem a formação de Twibes, que são grupos de usuários para montagem de rede de especialistas para troca de informações de interesse do negócio.

Outros exemplos de oportunidade de redes de colaboração são o Linkedin e as Wikis. Nesses dois espaços estão concentrados analistas de inteligência que podem manter colaboração com outros profissionais e iniciar um ciclo completo de IC, com a definição dos requisitos de inteligência, testes e hipóteses para análise e ainda promover debates.

É também nas redes sociais que estão dispersas informações que demonstram o comportamento do cliente, seus anseios e preferências, sua forma de lidar com assuntos relacionados ao negócio que está executando a sondagem de mercado e, especialmente, sua propensão ao consumo e de retenção por determinada marca ou tipo de serviço ou produto.

 

Oportunidades de melhoria

Ao analisar o mercado, é possível identificar o que está sendo desejado pelo consumidor e como a concorrência está atendendo a esses desejos. A partir daí, é possível olhar para dentro de casa e reorganizá-la de forma que se passe a ter melhores condições para oferecer o que o cliente espera da empresa.

Esse tipo de análise interna decorrente de insights externos é positivo na medida em que fornece elementos para que haja reestruturação de estratégias, fluxos e processos, com identificação da causa-raiz de problemas e possibilidade de implementação de melhorias para sanar as deficiências identificadas e, assim, evoluir o negócio.

 

Apoio especializado

Investir em Inteligência Competitiva é fundamental para empresas que objetivam ampliar suas condições de competitividade, reorientando seu modelo de negócios, suas metas e seus planejamentos. E pensar no futuro é uma condição para planejar e agir adequadamente no presente, cultivando o hábito de monitorar permanentemente o ambiente, discutindo as forças que nele atuam e obtendo respostas sobre como evitar ameaças ou aproveitar oportunidades.

Porém, nem sempre as empresas detêm expertise para a realização das etapas que compõem a metodologia que, simplificando, contempla a definição da necessidade de informação, a coleta em diversas fontes, o tratamento dos dados coletados e sua análise, a disseminação do conhecimento absorvido e o momento final de decidir como agir diante de tudo o que foi levantado.

Contratar empresas especializadas, com experiência consolidada e com domínio de técnicas de pesquisa para capturar todas as informações tidas como relevantes para a empresa, incluindo a experiência de clientes reais, é fundamental para um processo de Inteligência Competitiva de sucesso. Aliado a isso, é fundamental que esse parceiro disponibilize soluções tecnológicas que otimizem o trabalho e gerem entregas de fácil visualização, e que propicie a correta interpretação dos dados com vistas a uma tomada de decisão mais assertiva.

 

Inteligência Competitiva é um processo contínuo, então é importante acompanhar todas as tendências metodológicas para identificar as melhores opções para cada empresa.

Comment